Ambulantes de São Sebastião protestam em frente à prefeitura

Cerca de 3 mil profissionais cobram isenção de taxa e auxílio emergencial

0
101
Protesto ambulantes
Manifestação aconteceu nesta terça-feira (Foto: Nova Imprensa)

Dezenas de ambulantes, a maioria da Costa Sul de São Sebastião, protestaram na manhã desta terça-feira (12) em frente ao prédio da prefeitura. Eles cobram uma ação mais contundente do prefeito Felipe Augusto frente à paralisação das atividades devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

- Publicidade -

Logo cedo, o grupo armado com faixas foi à Câmara Municipal onde era realizada a sessão ordinária só com a presença dos vereadores. Eles pediram ajuda dos parlamentares no sentido de conseguir a isenção do pagamento da taxa anual de cerca de R$ 1,2 mil e também o recebimento de um auxílio emergencial.

Desde o início da quarentena contra a pandemia mundial, os ambulantes estão proibidos de trabalhar, principalmente nas praias. “Nós não podemos trabalhar, mas todo final de semana as praias estão cheias de turistas e veranistas”, lamenta um trabalhador que preferiu não se identificar.

Segundo ele, são cerca de 3 mil ambulantes que se encontram nessa situação. “Sabemos que é preciso ficar e casa, mas só cobramos uma ajuda, um auxílio por parte do prefeito Felipe Augusto porque ninguém mais tá aguentando essa situação”, completou.

O grupo cobra, ainda, informações a respeito do dinheiro recebido pela administração municipal diante da parceria com a Amistel, onde recebera carrinhos com o adesivo e foram obrigados a fazer propaganda. “Por que não usam esses R$ 6 milhões para nos ajudarem?”, questiona outro ambulante.

Presente na manifestação, o vereador Professor Gleivison Gaspar acompanhou os manifestantes até o prédio da prefeitura e reforçou que a categoria está sendo expulsa das praias e que o mesmo não acontece com os frequentadores que passam os finais de semana no mar e sem proteção. “É preciso ter coerência e atender esses trabalhadores que estão há tanto tempo sem ter como tirar o seu sustento”, declara.

O vereador Daniel Simões elaborou requerimento, aprovado cedo, onde questiona o prefeito sobre a possibilidade de o município disponibilizar algum beneficio financeiro de apoio aos taxistas, artesãos, comerciantes em geral e ambulantes oficializados e cadastrados em no município. Em caso positivo, quando ele seria iniciado e, caso nao seja possível, qual qeria o motivo.

Ambulante na Costa Sul, Joana Passos gravou um vídeo na parte da tarde onde reclama que muitos aguardavam atendimento pelo prefeito ou alguém representante, mas foram ignorados. “Muitos não aguentaram de fome e foram embora, mas ainda estamos aqui esperando um posicionamento”.

Em relação a recursos a serem passados para a categoria de ambulantes, inclusive em relação à Amistel, não houve manifestação por parte da administração municipal.

Estudos

De acordo com a prefeitura, o Comitê de Estudo e Gestão de Reabertura da Economia de São Sebastião elaborou, nesta semana, um questionário denominado ‘Pesquisa do Comitê de Gestão e Estudo da Reabertura Gradual da Economia no Município de São Sebastião – São Paulo’, com o objetivo de obter dados para que se façam reuniões virtuais e proponham ações que ajudem os empresários do município.

“Pelo link https://forms.gle/8Vgn5txgGhKavP8g6, os comerciantes e empresários de diversos setores, inclusive, autônomos, informais e ambulantes devem responder questionamentos relacionados as características de cada estabelecimento comercial que vão ampliar as análises técnicas para a reabertura gradual do comércio sebastianense”, diz a nota.

“Nossa proposta é conhecer a dificuldade de cada segmento e ter um diagnóstico real da nossa economia. Com esses dados podemos planejar as ações do comitê e conversar com cada um. Somente ouvindo, conhecendo cada realidade e dificuldades é que conseguiremos implementar protocolos seguros, reais e garantir a sobrevivência das nossas empresas”, disse Niuara Tedesco, presidente da Associação de Pousadas, Hotéis, Bares e Restaurantes de Maresias (Aphmbr).

O comitê é formado por representantes da rede hoteleira, Conselho Municipal de Turismo (Comtur), associações de surf e de náutica, Associação Comercial e Empresarial de São Sebastião (ACIU), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e secretarias de Turismo (Setur) e Saúde (Sesau), Fazenda (Sefaz) e Assuntos Jurídicos (Sajur).

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui