Juiz reconhece insuficiência de oxigênio no hospital de São Sebastião na pandemia

Foi julgada procedente a ação judicial que denunciou irregularidades na rede de abastecimento de oxigênio do hospital de São Sebastião. A sentença, do juiz Matheus Valarini, foi publicada na tarde desta terça-feira (13).

A denúncia, apresentada em conjunto pelo Ministério Público e pela Defensoria Pública, apontou uma série de falhas no sistema que atendia pacientes com Covid na UTI. “Fatos que culminaram, por diversas vezes, com o colapso da rede de oxigênio fornecido por estas usinas”, afirmaram a promotora Janine Rodrigues e os defensores Filovalter Moreira e Camila Tourinho.

Áudios e mensagens trocadas entre profissionais, que atendiam na UTI, indicam que oscilações na pressão e na pureza do oxigênio eram recorrentes, desde o início da pandemia. Mas diretores do hospital minimizaram os problemas e classificaram o sistema como “satisfatório”.

Para o juiz, ficou “demonstrado que existiam irregularidades variadas no fornecimento de oxigênio a pacientes”. “O sistema de geração e distribuição apresentava deficiências. O prédio não estava apto a propiciar atendimento eficiente e seguro”, concluiu Valarini, citando laudos técnicos.

O juiz observou que, somente depois da instauração do processo, no final de janeiro do ano passado, foram tomadas as providências necessárias para assegurar o funcionamento ideal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.