Homem que atirou contra garota de programa é condenado a 10 anos de prisão

Levado a julgamento após denúncia do Ministério Público, o homem que atirou em uma garota de programa dentro de uma boate de Caraguatatuba foi condenado a 10 anos e seis meses de prisão por homicídio tentado. Os autos apontam que o crime foi praticado em virtude de disputas entre casas noturnas rivais.

O crime ocorreu em janeiro de 2019, quando o acusado, de 40 anos, proprietário da boate Amanhecer, passou atirando em frente ao estabelecimento concorrente, no bairro Travessão. Ele estava com a mulher e duas crianças dentro do carro, um veículo EcoSport vermelho.

A vítima de um dos disparos foi uma jovem, de 22 anos, funcionária do local. Ela foi atingida na perna direita, teve o osso perfurado pela bala, e teve que passar por cirurgia. De acordo com a investigação, ela quase foi atingida também na cabeça.

Em seguida, homem e mulher tentaram fugir, mas foram alcançados pela Polícia Militar. Segundo os agentes de segurança, a mulher estava ao volante com sinais de embriaguez e chegou a desobedecer a ordem de parada. Ela ainda irá a julgamento.

Na denúncia, o promotor de Justiça Renato Queiroz de Lima narra que o réu já foi condenado previamente por tráfico de drogas. De acordo com o membro do MP, a dupla agiu com dolo eventual, pois além da garota de programa, assumiu o risco de matar as pessoas que lá estavam, entre proprietários, frequentadores e funcionários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.