Vereador de São Sebastião é alvo de inquérito por ameaças à ex-esposa

O vereador Diego Nabuco, de São Sebastião, é investigado em inquérito policial que apura ameaça à ex-esposa e descumprimento de medidas protetivas. Em abril do ano passado, depois de L.J.B. registrar boletim de ocorrência, a juíza Glaucia Paiva determinou que Nabuco não se aproximasse nem mantivesse contato com a ex-esposa e seus familiares.

No último dia 30 de março, a juíza prorrogou o prazo das medidas por mais seis meses, e determinou que Nabuco compareça ao curso oferecido pela Associação de Amparo à Mulher Sebastianense, que começa na próxima quarta-feira (27). O curso tem objetivo de conscientizar homens que cometem violência contra mulheres.

O inquérito foi instaurado no final de setembro, a pedido do promotor Alan Carlos, que recebeu denúncia anônima relatando descumprimento das medidas protetivas. Sete meses depois, o inquérito ainda não foi concluído.

Em áudios entregues à polícia por L.J.B., o vereador fala que teria acesso às conversas privadas da ex-esposa nas redes sociais, por intermédio de “gente da Prefeitura”. “Você vai ver só. Pessoal vai acessar, vai ter acesso a tudo, às suas conversas. Vou receber tudo, tá? E é gente da Prefeitura…”, diz Nabuco, em áudio transcrito no inquérito.

Procurado pela reportagem neste domingo (24), o vereador afirma ter sido “inocentado de todas as acusações”, e diz que vai processar “quem divulgou artes e fez comentários ofensivos”. Nabuco alegou que não poderia apresentar a suposta decisão favorável devido ao “segredo de Justiça”, mas informou o número do processo judicial.

A reportagem apurou que o vereador se refere ao processo de divórcio, em trâmite na Vara Cível, que não tem relação com o inquérito policial, em andamento na Vara Criminal. Esse último não está sob sigilo e ainda depende da conclusão do inquérito para que a juíza tome uma decisão.

A reportagem também fez contato com a Prefeitura perguntando sobre a atuação de algum hacker utilizando estrutura da administração pública, conforme indica um dos áudios que fazem parte do inquérito. A Prefeitura não respondeu aos questionamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.