Com salários atrasados, merendeiras de São Sebastião realizam paralisação

As merendeiras que trabalham nas escolas e creches de São Sebastião continuam sendo prejudicadas por atrasos nos pagamentos de salário e benefícios. Nos últimos dias, o Nova Imprensa recebeu diversas mensagens de funcionárias reclamando da situação. “Todo mês é essa palhaçada”, disse uma delas. “Ganhamos tão pouco e ainda atrasado”, lamentou outra.

Nesta segunda-feira (14), cerca de 30 merendeiras realizam uma manifestação em frente à sede da Prefeitura. Muitas teriam sido coagidas a não aderir ao ato.

O sindicato da categoria publicou um manifesto afirmando que as merendeiras “seguem trabalhando sem salários, sem vale-transporte, sem vale-refeição, sem cesta básica e sem respostas”. “Que gestão municipal séria deixaria uma categoria sem seus direitos, deixaria um sindicato representativo sem resposta e os alunos da sua cidade sem merenda?”, questiona a entidade.

A Prefeitura prorrogou, em novembro, o contrato da empresa, a RC Nutry, por mais um ano. O valor foi reajustado para R$ 23 milhões. “Aguardamos que a empresa RC Nutry cumpra com seu dever com as merendeiras e que a Prefeitura de São Sebastião se posicione sobre esse contrato”, acrescentou o sindicato.

A reportagem questionou a empresa, mas não obteve resposta. A Secretaria de Educação também não quis dar explicações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.