Valor da cesta básica salta mais de 24% no Litoral Norte

O preço mais alto é registrado na cidade de Ilhabela, com custo de R$ 590 para 13 itens básicos ao consumidor

0
137
cesta
Cesta básica teve a maior alta dos últimos 19 anos no Brasil (Fotos: Divulgação)

O valor da cesta básica, que inclui itens alimentícios de primeira necessidade para o cidadão, saltou 24,2% entre janeiro de 2020 e janeiro de 2021 no Litoral Norte. O preço mais alto é registrado na cidade de Ilhabela (R$ 590), seguido de São Sebastião (R$ 588), Ubatuba (R$ 570) e Caraguatatauba (R$ 565).

- Publicidade -

A cesta básica inclui, de forma geral, 13 produtos. Em 2020, a alta foi impulsionada pelo óleo de soja, com aumento de quase 90% no acumulado do ano. Destaque também para a o salto de preço da batata (64%), arroz (60%), carne bovina (47%), feijão (30%), manteiga (21%) e açúcar (20%).

A pesquisa foi realizada pelo Centro Universitário Módulo em parceria com a Faculdade de São Sebastião. Segundo o estudo, o preço dos alimentos aumentou seis vezes em relação a inflação oficial no Brasil, com preços bem acima daqueles praticados no mercado nacional e internacional.

“A variação cambial teve forte influência na variação dos preços dos alimentos, principalmente produtos comercializados no mercado internacional, como soja e arroz. Nos 10 primeiros meses de 2020 a moeda brasileira apresentou uma desvalorização em relação ao dólar de 42,50%”.

Respiro

Após um ano de alta expressiva nos preços, o mês de janeiro de 2021 registrou uma pequena redução no custo dos alimentos ao consumidor. Depois de cinco meses consecutivos de alta, a variação média da cesta no Litoral Norte foi de menos 0,49% em janeiro de 2021. Entre os municípios as variações foram de – 0,98% em Caraguatatuba, – 0,48% em Ilhabela, – 0,41% em São Sebastião e – 0,07% Ubatuba.

Na prática, os preços apresentam pouca redução nas prateleiras de venda, levando em conta o montante de elevação registrado no ano passado. Segundo os pesquisadores, o respiro para o consumidor em 2021 se deve a valorização da moeda nacional em 10,20%.

Outros fatores como a redução da expectativa de turistas nas cidades do litoral com a piora na pandemia e o aumento das restrições das atividades comerciais pode ter contribuído para essa queda no preço médio da cesta nas cidades do Litoral Norte.

Cesta básica 2021

A batata foi a grande vilã da cesta pelo quarto mês consecutivo, consequência de dois fatores principais: o fim da safra da seca com a consequente redução da oferta do produto e o aumento nos custos de produção com a alta dos preços dos fertilizantes e defensivos aplicados no campo.

O aumento no preço do açúcar é consequência da redução da oferta do produto por conta da entressafra da cana de açúcar no Brasil e a ampliação da produção para o etanol com o aumento nos preços dos combustíveis.

Em relação aos produtos que apresentaram queda, mesmo que moderada, destaque para a redução no preço do tomate, consequência do aumento na oferta do produto com a chegada de nova safra. A redução nos preços do óleo de soja e do arroz são consequências de um equilíbrio maior no câmbio nos últimos meses, estabilizando os valores no mercado internacional, além do alinhamento dos preços, tanto no âmbito externo quanto interno.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui