Ilhabela endurece restrição para entrada na cidade

O isolamento abrange casos positivos, contatos e viajantes que tiveram autorização para entrar

2
208
Balsa é o principal meio de transporte para o arquipélago
Balsa é o principal meio de transporte para Ilhabela (Foto: Divulgação/PMI)

A prefeita de Ilhabela, Maria das Graças Ferreira, a Gracinha, endureceu ainda mais a restrição para entrada na cidade com objetivo de combater a pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19). Para pessoas que vieram de municípios afetados pelo vírus, com autorização para entrar no arquipélago, a prefeita decretou isolamento de 14 dias em casa ou no hospital.

- Publicidade -

O descumprimento das medidas de isolamento acarretará responsabilidade civil, administrativa e criminal do infrator.

A restrição é adotada com base em leis e orientações de órgãos nacionais e internacionais, que estabeleceram medidas para enfrentamento de emergência ne saúde pública.

Conforme o decreto, os profissionais de saúde da rede pública devem aplicar medidas de isolamento com o objetivo de separar pessoas sintomáticas ou assintomáticas, em investigação clínica e laboratorial, para evitar a propagação da infecção e transmissão no município.

Ainda com base no decreto, o isolamento deve ser cumprido, preferencialmente, em domicílio, mas também em hospitais ou ambientes indicados pelo Poder Público, conforme recomendação médica e estado clínico de cada paciente.

De acordo com a prefeitura, a medida abrange casos positivos, seus contatos próximos e viajantes sintomáticos ou assintomáticos que retornarem (mesmo com autorização) de localidades afetadas pela Covid-19.

Em caso de qualquer sintoma característico da doença, esses viajantes devem procurar o serviço de saúde mais próximo (Unidade de Saúde da Família, Unidade de Pronto Atendimento ou Serviços de Urgência e Emergência) públicos ou privados.

Restrição com drone

Nos últimos dias, os casos confirmados em Ilhabela saltaram de 9 para 30.  Diante do atual quadro, a  prefeitura deve contratar drones para fiscalizar a movimentação de embarcações que tem feito travessia ilegal de pessoas entre o continente e o arquipélago.

A travessia de balsas está suspensa para visitantes e veranistas desde o dia 18 de março como medida para combater a pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com o secretário de Saúde de Ilhabela, Gustavo Barboni, embora a navegação no Canal de São Sebastião seja de responsabilidade da Marinha do Brasil, devido às crescentes denúncias, a prefeitura vai se mobilizar para coibir a prática.

O secretário informou ainda que a contratação dos drones pode fazer a identificação das embarcações. O objetivo é definir as medidas de punição cabíveis, de acordo com as leis e os decretos de contenção do coronavírus, para frear a contaminação.

2 COMENTÁRIOS

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui