População de Ilhabela faz reivindicações no “Dia do Basta”

Grupo entregou abaixo assinado pedindo afastamento de políticos e soluções para saneamento básico

7
5601
O "Dia do Basta" aconteceu no dia 26 de novembro (Fotos: Márcio Pannunzio)

Um grupo de moradores de Ilhabela se reuniu, na noite da última terça-feira (26), para reivindicar soluções para a área ambiental e para corrupção na cidade, além do afastamento do secretário de Governo, Luiz Lobo. O “Dia do Basta” reuniu dezenas de pessoas com cartazes de protesto, na Vila. Após o ato, o grupo entregou um abaixo assinado com pedidos de providências para a prefeitura e os vereadores.

- Publicidade -

No documento, o grupo justifica o afastamento de Lobo devido uma ação na justiça que pede sua inelegibilidade por mau uso do patrimônio público. O pedido ainda cita um episódio de desentendimento do secretário com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, alegando quebra de decoro, já que após a troca de farpas nas redes sociais, Lobo ameaçou mandar verificar se a casa do ministro em Ilhabela estaria em desconformidade com o Plano Diretor. “O caso, com motivação pessoal, se enquadra em crime de assédio moral e perseguição política por servidor de alto escalão”, diz o material.

Os manifestantes pedem ainda o afastamento e a abertura de uma Comissão Parlamentar de Iquérito (CPI) para investigar os nomes de políticos e agentes públicos citados em delação sobre desvio de conduta, crime de corrupção e favorecimento ilícito, pela ex-namorada do diretor da empresa Negreiros, alvo da operação Prelúdio II, da Polícia Federal, que investiga superfaturamento de contratos na região. Nesta mesma ação da PF, o ex-prefeito de Ilhabela, Márcio Tenório, foi afastado do cargo por improbidade administrativa, em maio de 2019.

A população pede também a compra de biodigestores para comunidades de baixa renda que ficam em áreas onde a rede de esgoto não chega e não existe previsão de atendimento pela Sabesp; subsídio para caminhão limpa fossa para a população sem recursos; desobstrução de sistemas de galerias pluviais; implantação de Unidades de Tratamento de Rios (UTR) e operação caça esgoto para remover ligações clandestinas.

Outro item reivindica medidas para licitação e execução das Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) já licenciadas, (sistema Itaquanduba e Feiticeira), com prazo máximo para conclusão das obras de 30 meses, com previsão de multas pesadas em caso de inadimplência temporal, assim como na inconformidade dos efluentes a serem gerados.

Situação

A cidade de Ilhabela tem aproximadamente 43% do esgoto coletado pela Sabesp. Um dos principais destinos turísticos de São Paulo, a cidade foi classificada na 632ª posição no Índice de Coleta e Tratamento de Esgoto Municipal (ICTM) entre 645 municípios do Estado. O arquipélago configura entre os 13 piores resultados estaduais de 2019, com uma nota de 1, 17 (de 0 a 10).

O município chegou a ficar com bandeiras vermelhas em todas as 19 praias monitoradas em janeiro de 2019, durante a alta temporada. A cidade tem cerca de 40 mil habitantes, mas chega a receber mais de 140 mil turistas no verão. Possui 17 ocupações desordenadas, com aproximadamente 5 mil pessoas.

Segundo a Sabesp, existem atualmente 849 imóveis com redes de esgotos disponíveis para conexão imediata. A empresa frisa que atua somente em área formalizada.

O orçamento estimado da cidade é de R$ 1 bilhão, um dos maiores do Brasil, por conta dos royalties pagos por conta dos impactos ambientais da exploração de petróleo e gás na região. O arquipélago é um dos municípios com maior crescimento populacional do estado de São Paulo.

Outro lado

A Sabesp informou que entre 2010 e 2019 investiu R$ 93 milhões em obras de abastecimento e esgotamento sanitário no município de Ilhabela resultando (nesse período) na implantação de 20 quilômetros de redes de água, 68 quilômetros de redes coletoras de esgotos, 11 estações elevatórias de esgotos e a disponibilização de 7.600 ligações. Toda essa estrutura permitiu um salto de 4% para 60% em coleta e disposição adequada dos esgotos sanitários.

A companhia disse ainda que investiu R$ 4 milhões para a elaboração de projetos executivos para a ampliação dos sistemas de água e esgotos e que a documentação foi entregue ao Poder Executivo em fevereiro de 2019 para a execução das obras com recursos financeiros da prefeitura e operação da Sabesp – parte dessas obras já está em execução pelo município.

7 COMENTÁRIOS

  1. Semana passada fui pra lá no feriadão e paguei uma tal. Taxa de preservação e agora os moradores reinvidicam saneamento básico? Pra onde vai essa taxa de preservação de Ilhabela?

  2. Eita! Acabei de pesquisar aqui. Minha cidade (Itatiba/SP) tem um orçamento de 420 milhões (2019), aproximadamente 120 mil habitantes e a SABESP trata 95% do esgoto da cidade. Será tão difícil conseguir uma parceria em ilhabela para tratar o esgoto de 40 mil pessoas?

  3. Meu Deus quanto mais eu comparo mais concluo que tem coisa muito errada com a administração de Ilhabela. Minha cidade tem PIB per capita 4 vezes menor. O que essas empresas fazem pela ilha? Só destroem? E não vem com papo que turiata suja pq não o público de ilhabela procura pelas belezas naturais e pelo exoturismo. Dificilmente encontrará esse tipo de turista deixando lixo pelas praias. Já falei demais, fui!

  4. Mais do que na hora de salvar ilhabella.
    Frequentadora, nunca vi a ilha tão maltradada.Ñ adianta fazer show e carnaval.

    O mais importante é o Saneamento e o controle das invasões!!!

  5. Ilhabela é mau admnistrada a muito tempo, só a taxa de saida de 12,00 dos turistas ,arrecada muito!Temos mensalinho, corrupção a rodo,nepotismo, e IPTU alto para uma cidade com pouca estrutura.

  6. Salvar Ilhabela implica em saneamento básico, acabar com as invasões colocando abaixo imoveis que estejam nessa condição, proibir e fiscalizar uso de caixas de som nas praias, limitar o acesso na alta temporada, como é feito em Fernando de Noronha, acabar com os pancadoes, ou seja, precisa de regras que sejam fiscalizadas e cumpridas.
    Renato, proprietário de imóvel na Ilha.

  7. Sabia que para fazer uma Endoscopia em Ilhabela, o Posto de Saúde pede agendamento ao Hospital Mario Covas, que depende da Secretaria de Saúde, que depende da Prefeitura Municipal de Ilhabela e hoje, 29 de novembro de 2019 ainda estão agendando os pedidos de 2018..??
    Quer dizer o seguinte. Se vc esta passando mal (não muito grave) terá que aguentar e conviver com sua doença (rezando pra não agravar), durante uns dois ou três anos, pois a Administração do Município de Ilhabela ainda não conseguiu por ordem nos processos, nos métodos e continua com um plantel de improvisados e sem capacidade profissional, para dirigir e organizar os setores críticos de uma cidade.
    Isso é muito grave, o executivo esta brincando com a saúde das pessoas e é o único responsável pelo deterioro constante da qualidade de vida de nossa cidade.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui