Empresário de Ilhabela preso em atos terroristas fretou ônibus para os ataques

O morador de Ilhabela, preso durantes atos terroristas em Brasília no último domingo (8), foi um dos responsáveis por fretar o ônibus que levou um grupo do Litoral Norte aos ataques na capital federal. O suspeito é empresário, sócio de pelo menos três restaurantes na cidade.

De acordo com depoimentos à Polícia Civil do Distrito Federal, divulgados pelo G1, Fabrício Moura, de 45 anos, participou da organização do ato. “O interrogando, juntamente com o pessoal que estava manifestando em frente à Marinha (em São Sebastião), locou um ônibus para trazê-los até Brasília. Chegaram em Brasília na sexta e pretendiam ir embora na segunda”, diz o documento.

Na última segunda-feira (9), a reportagem entrou em contato com a família do suspeito para apurar os fatos, mas o irmão dele, que também é sócio de restaurantes em Ilhabela, negou os fatos. “Meu irmão é uma pessoa boa e não foi preso. Ele não é terrorista”, negou Fernando Moura.

Ainda de acordo com o documento divulgado pelo G1, o suspeito afirmou que “não sabia que não podia entrar no Congresso Nacional”. “Disse que não está feliz com o governo e que não sabia que não podia entrar dentro do Congresso Nacional”, afirmou no documento.

Por outro lado, confirmou participar há 60 dias do acampamento golpista, próximo a balsa, que questionava a vitória do presidente Lula nas urnas. Para a polícia, o homem ainda confessou que entrou no Congresso, seguiu para a parte inferior do prédio, até que foi contido pela chegada do exército e depois detido pela Polícia Militar.

Mais de 1 mil pessoas estão presas suspeitas de invadir e vandalizar o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e a sede do Supremo Tribunal Federal (STF), após derrota do ex-presidente Jair Bolsonaro.

3 Replies to “Empresário de Ilhabela preso em atos terroristas fretou ônibus para os ataques”

  1. Interessante confundir os leitores com dizeres atos golpistas em frente a marinha. O que o mst faz é o que? Terrorismo. E o que acontece com eles? Nada. Vamos parar de hipocrisia. Não concordo com o vandalismo, mas também sou contra essa militância de má fé que vcs da imprensa propagam. Me solidarizo com este empresário de ilha bela

    1. Os protestos do MST foram no sentido de ter terras para trabalhar. Foram atos golpistas estes que assistimos nesses acampamentos pedindo golpe de estado. Além do mais, é terrorismo. Estes bandidos tem sorte de estar apenas presos e indiciados. Cometeram danos ao patrimônio histórico, tentaram um golpe contra a democracia e praticaram terrorismo. Tem sorte de não estar sendo torturados e mortos e jogados numa vala como foram os estudantes na época da ditadura. Eles foram acusados de terroristas porque eram contra a ditadura. Terrorista de direita também é terrorista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *