Mulher é pega em flagrante após matar lagarto em sua propriedade

Uma mulher vai responder criminalmente por matar com um tiro um lagarto, no bairro Rio Claro, em Caraguatatuba na tarde desta quinta-feira (9). Segundo ela, o animal silvestre comia os ovos de suas galinhas e patas. Além disso, ela relatou sentir medo do réptil atacar sua filha.

A suspeita vai responder por crime ambiental e a pena pode chegar a detenção de seis meses a um ano. Na esfera administrativa, ela recebeu multa de R$ 1 mil  por caçar espécime da fauna silvestre sem autorização, com base no artigo 25 da resolução SIMA 005/21.

A Polícia Ambiental conta que durante uma fiscalização, a equipe viu uma mulher correndo para o fundo da propriedade. Ao retornar para atender os policiais, ela apresentava aparente nervosismo. A equipe decidiu fazer buscas no quintal e achou dentro de um tanque de lavar roupa o lagarto morto, medindo 80 centímetros da cabeça a cauda, e com sinal de perfuração, enrolado em uma camisa.

A mulher então confessou “que matou o réptil com uma arma de pressão e estava nervosa porque sabia que seria pega em flagrante” e, na tentativa de escapar, escondeu o réptil e guardou a arma na casa. A espingarda de pressão foi apreendida.

lagarto

Lagarto não ataca pessoas

Questionado sobre os riscos do lagarto atacar um humano, como relatou a suspeit em relação a filha, o doutor em ecologia e evolução Ricardo Freitas Filho, assegurou que, apesar de serem forrageadores ativos, ou seja, caminham em busca de suas presas perseguindo rastros e encontros oportunistas, não atacam as pessoas sem motivo, ao menos que se sintam em risco.

Ele é um animal silvestre e só se aproxima de residências para procurar alimentos quando seu habitat é maculado. Logo, interações, como encurralar, alimentar ou ameaçar o animal na tentativa de afugentá-lo, podem, segundo ele, gerar reação do lagarto.

Os policiais contaram ainda que estiveram um dia antes na mesma propriedade e fizeram uma autuação por degradação do bioma, o que pode ter levado o animal a buscar os alimentos fora de seu habitat natural.

Em casos de aparição de animais selvagens, entre em contato com a Ambiental pelo telefone (12) 3886-2200. Os policiais fazem a captura do animal e posterior soltura na natureza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.