PF cumpre mandado em Ilhabela sobre investigação de pesca ilegal em Alcatrazes

A Polícia Federal avança nas investigações de pesca clandestina e proibida no Refúgio da Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes. Na última quarta-feira (23), uma equipe da PF cumpriu quatro mandados de busca e apreensão na cidade de Ilhabela.

O inquérito policial foi instaurado depois da prisão de três pescadores pela equipe de fiscalização do ICMBio em maio de 2021. No dia do flagrante, o trio ainda tentou fugir dos agentes de barco.

O objetivo da ação foi localizar e arrecadar itens relacionados com a atividade de pesca clandestina e proibida na área de proteção ambiental, assim como o comércio ilegal dos pescados.

Refúgio da Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes

Alcatrazes
Foto: Refúgio de Alcatrazes/Divulgação

O Refúgio é a maior unidade de conservação marinha de proteção integral da plataforma continental brasileira das regiões Sul e Sudeste. Seu objetivo é conservar espécies ameaçadas, endêmicas e migratórias. Então, Alcatrazes é a única área marinha de proteção integral do Litoral Norte do Estado de São Paulo, exercendo papel insubstituível na conservação de importantes processos ecológicos.

Além disso, por abrigar uma das maiores biomassas de peixes recifais na costa brasileira, atua também como área de produção marinha de grande importância para a reposição dos estoques pesqueiros da região.

Relembre o caso

Três moradores de Ilhabela foram presos acusados de realizar pesca submarina ilegal na área de preservação do arquipélago de Alcatrazes, em maio de 2021. Eles também tentaram a fuga em uma embarcação e a perseguição durou mais de duas horas por agentes do ICMBio. O trio ficou sem combustível, por isso capturado.

Os três, depois de conduzidos a reboque até Polícia Federal, permanecem detidos. Então, por prática de crime ambiental, poluição e por dificultar a fiscalização, uma vez que lançaram vários objetos no mar durante a perseguição, receberam multa um total de R$ 90 mil. Eles ainda teriam jogado a embarcação sobre o bote do ICMbio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.