Rio Tabatinga apresenta níveis de coliformes fecais 30 vezes maior que o permitido

O rio Tabatinga, localizado na região Norte de Caraguatatuba, apresentou níveis de coliformes fecais 30 vezes maior que o permitido em alguns pontos. As informações sobre a qualidade da água foram obtidas durante ação da Prefeitura para despoluição da área, realizada na manhã desta quinta-feira (13). A coleta sinalizou um índice de 15 a 300 mil, quando o tolerável é de 5 mil.

Há mais de um ano o Tabatinga se mantém com a bandeira vermelha da Cetesb, que indica poluição da água do mar no trecho próximo ao rio.

Para chamar a atenção da comunidade e visitantes, foi colocado um casco de veleiro com um vaso sanitário simbolizando a preocupação com o despejo irregular de esgoto. Além da questão ambiental, os organizadores atentam para os problemas de saúde que a poluição pode ocasionar para os banhistas.

“Há pontos depois da ponte da Rodovia Rio-Santos (SP-55) e a desembocadura onde a coleta sinalizou de 15 mil a 300 mil, quando o tolerável é de 5 mil”, alerta o presidente da ONG Centro Educacional e Ecológico de Proteção Ambiental (Ceepam), Eduardo Leduc. Porém, ele garante que o trecho é pequeno e passível do problema ser resolvido.

Força tarefa para cuidar do rio

Para o diretor do Parque Estadual da Serra do Mar (PESM), Miguel Nema, a manutenção da vida no local é fundamental, principalmente porque as principais nascentes estão dentro do Parque. “É importante para proteger o trecho que não está dentro do PESM e faz parte do apoio que estamos dando para a ação”.

O capitão Igor Hiasa, comandante da Polícia Ambiental do Litoral Norte, também comentou sobre as atividades realizadas na região do rio Tabatinga. “É de extrema importância mantermos a preservação desse rio, tanto na questão de destinação de resíduos, mas também na preservação da mata ciliar porque intervenção é crime”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.