Criança de 3 anos morre afogada em piscina de casa

A vítima estava em casa com sua família no momento do acidente

0
2453
Acidente na piscina aconteceu na tarde desta quinta-feira (Foto: Divulgação)
Acidente na piscina aconteceu na tarde desta quinta-feira (Foto: Divulgação)

Uma criança de três anos de idade morreu afogada na piscina de sua casa, na tarde desta quinta-feira (1º/10), no bairro Pegorelly, região sul de Caraguatatuba.

- Publicidade -

Segundo relato de uma testemunha, a criança estava em casa com a mãe e duas irmãs, de sete e oito anos, assistindo televisão. A mãe fazia almoço e olhava as crianças, quando precisou ir ao banheiro “por menos de cinco minutos”.

O acidente

Quando voltou, viu que o menino não estava mais com as irmãs e foram procurá-lo. Uma delas foi até o fundo da casa e encontrou o menino no fundo da piscina. Ela retirou o irmão da água e, segundo relatou, o pequeno “começou a soltar muita água e restos de alimentos pela boca”.

Um profissional de saúde explicou que a criança teria broncoaspirado e engolido muita água, o que ocasionou uma parada cardiorrespiratória.

Neste ínterim, mãe e irmãs trouxeram o menino até a garagem da casa. A mãe, em profundo desespero, chamou o vizinho, que acionou o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU). Ele foi orientado por telefone para fazer massagem cardiorrespiratória (PCR) na criança até a chegada da ambulância.

O SAMU chegou em dois minutos e os socorristas continuaram o procedimento de massagem, instalaram o desfibrilador externo automático e pediram o apoio da Unidade de Suporte Avançado (USA), com médico e enfermeiro. A criança foi entubada e recebeu adrenalina, na tentativa de reanimação, e foi conduzida até a Casa de Saúde Stella Maris, mas não resistiu.

Cuidados com piscina em casa

Segundo o capitão João Batista Rapacci, comandante do Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar), ter piscina em casa requer muitos cuidados, principalmente quando há crianças pequenas no ambiente.

Ele orienta a cercar ou cobrir a piscina, ter algum meio de contenção para evitar o fácil acesso de crianças. “É necessário a presença de um adulto com crianças até seis anos, com distância máxima de um braço, mesmo se ela estiver fazendo uso de boia, colchão ou colete salva-vidas”.

Para crianças a partir dos sete anos, se faz importante ter um responsável por perto para estar sempre olhando. Além disso, também é necessário um ralo anti sucção para tornar a piscina mais segura.

Importante, ainda, que a criança aprenda a nadar e boiar com um profissional da área.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui