Prefeitura de Caraguatatuba chama clínicas veterinárias para castração

Para participar do programa de castração o munícipe deve apresentar no CCZ cópias de documetnos e ter renda  de até 3 Salários mínimos

1
299

A Prefeitura de Caraguatatuba publicou na edição nº 241 do edital do Diário Oficial Eletrônico do Município o Chamamento Público que visa o credenciamento de clínicas veterinárias para prestação dos serviços de castração cirúrgica nas espécies caninas e felinas.

- Publicidade -

O Edital e seus Anexos poderão ser obtidos na internet pelo site http://www.caraguatatuba.sp.gov.br/licitacoes.

Os pedidos de esclarecimento poderão ser protocolados na Secretaria de Administração, situada na Avenida Siqueira Campos,  44, Centro, de segunda-feira a sexta-feira das 9h às 16h30 até o dia 20 de março.

As empresas contratadas devem realizar prestação de serviços gratuitos à população no âmbito do Programa Anual de Controle Reprodutivo de Cães e Gatos no município de Caraguatatuba, instituídos pela Lei Municipal nº 1298/2006, pelo período de 12 meses.

Importante ressaltar que o Programa Anual de Controle Reprodutivo de Cães e Gatos é realizado pela Prefeitura de Caraguatatuba, por meio do Centro de Controle Zoonoses (CCZ), e que a partir do momento que forem contratadas as clinicas o atendimento será aberto à população novamente.

Para participar do programa de castração o munícipe deverá apresentar no CCZ, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h, cópias do RG, CPF, comprovante de residência e de renda (três salários mínimos). Além disso, cães e gatos só serão castrados a partir dos seis meses de idade.

Segundo o CCZ de Caraguatatuba, desde o início do programa, cerca de 20 mil animais já passaram pelo CCZ e foram encaminhados para castração. Outros 20 mil pets foram microchipados.

Vacinação

O Governo do Estado disponibilizou para o município de Caraguatatuba 500 doses da vacina antirrábica que imuniza animais (cães e gatos) contra o vírus da raiva.

A vacina, que é aplicada em animais a partir dos três meses de idade, é o único meio de prevenção da doença e será aplicada somente em animais microchipados na feira de adoção deste sábado (14) no CCZ.

A médica veterinária do CCZ, Caroline Andrade, contou que “a raiva é transmitida principalmente por mordedura e lambedura, porque o vírus fica na saliva do animal”. Ela disse que a medida de prevenção é a mais eficaz contra a doença.

A veterinária listou alguns sinais clínicos da doença. “A tem diversas fases de evolução e seus sinais neurológicos incluem contrações musculares involuntárias, confusões, paralisias e mudanças de comportamento, que é um dos sintomas mais comuns”.

Caroline Andrade ressaltou que a única pessoa que pode saber se esses sinais clínicos são condizentes com raiva é um médico veterinário. E por isso, a pessoa precisa procurar os profissionais qualificados para o diagnóstico correto da doença.

A preocupação da doença é também com seres humanos. Pessoas mordidas por um cão, gato e morcego, que também pode ser um hospedeiro da doença, precisam procurar uma unidade de saúde ou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). “Inicialmente, a pessoa precisa lavar o ferimento com água e sabão”, ressaltou a veterinária.

Veterinários recomendam que a vacinação contra raiva deva ser realizada anualmente. Se o animal recebeu a vacina pela primeira vez, o reforço precisa ser depois de 30 dias e assim seguir a recomendação anual.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui