Caraguatatuba vacina crianças diagnosticadas com problemas pulmonares e cardíacos

Antes, as crianças tinham de subir para receber as cinco doses em Taubaté

0
65

Caraguatatuba passou a ser a referência do Litoral Norte na proteção de crianças prematuras diagnosticadas com problemas pulmonares e cardíacos.

- Publicidade -

A Secretaria de Saúde (Sesau) começou a aplicação da vacina palivizumabe, que protege crianças do Vírus Sincicial Respiratório (VSR), um dos principais que acometem o pulmão.

Na última segunda-feira (10/03), 11 crianças dos municípios de Caraguatatuba, São Sebastião e Ubatuba foram as primeiras a receberem as doses da vacina no Centro de Referência da Mulher (Pró-Mulher).

As crianças, que antes recebiam a vacina na cidade de Taubaté, passam a receber em Caraguatatuba, a única cidade do Litoral Norte a ser autorizada pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo a administrar o medicamento.

Uma das primeiras crianças a receber a vacina foi a pequena Aylla Ayoub, de 10 meses. A mãe, Audrey Panvone Ayoub, moradora de Caraguatatuba, disse estar aliviada depois que soube que cidade iria começar aplicar a palivizumabe. “Quando a gente fica sabendo de uma informação dessas é só alegria”.

Com essa facilidade, Audrey terá mais tempo para cuidar de Aylla sem preocupações com viagens. “Serão cinco meses aplicando a vacina, imagina ter que pegar um ônibus ou andar de carro para uma cidade distante com uma criança de 10 meses; é um desconforto muito grande para ela”, apontou.

Audrey agradeceu por não ter que levar a filha em outra cidade distante para tomar a vacina e disse estar feliz porque é um bem para o bebê. “É mais um cuidado que o município tem com as nossas crianças”.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica de Caraguatatuba, a palivizumabe é destinada à prevenção de doença grave do pulmão causada pelo VSR em pacientes pediátricos. A vacina deve ser administrada uma vez por mês durante períodos de risco do vírus, de fevereiro a julho.

A VE explicou que “o número total de doses por criança irá depender do mês de início das aplicações, que variam de uma a cinco doses”.

O período de aplicação é do período de sazonalidade entre fevereiro a julho para os menores de dois anos. Após o término do período, a palivizumabe não será aplicada.

Desde novembro do ano passado, profissionais da Saúde do município têm recebido capacitações e informações importantes sobre o medicamento, promovidas pelo Estado.

Até o momento, 21 crianças já estão cadastradas para receberem as doses da palivizumabe. As aplicações irão ser realizadas todas as segundas-feiras no Pró-Mulher pela equipe da VE.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui