22º Dança e Movimento tem 23 dias de apresentações gratuitas

Evento traz espetáculos nacionais e internacionais a partir desta sexta-feira (13)

0
110
Cia Solas de Vento fecha a programaão no dia 6 de outubro (Foto: Mariana Chama)

O Dança e Movimento, considerada uma das maiores mostras de dança do Estado de São Paulo, chega completa 22 anos em 2019 e traz 23 dias de atraões gratuitas em Ilhabela. O evento comea nesta sexta-feira (13) e segue até 6 de outubro, no teatro do Pés no Chão.

- Publicidade -

A programação traz artistas e grupos nacionais e internacionais, além de duas noites destinadas aos aprendizes de dança de escolas e instituições de Ilhabela e região.

Na abertura, às 20h, acontece a apresentação do Corpo de Baile de Caraguatatuba, dirigido por Cristina Neves, com o espetáculo Carpe Diem: um convite para que se aproveite o tempo presente, usufruindo os momentos intensamente sem pensar muito no que o futuro nos reserva.

No sábado (14), também às 20h, a Cia Druw, dirigida por Miriam Druwe, apresenta Dali, Daqui ou De Lá? O espetáculo infanto-juvenil se inspira nos procedimentos do movimento surrealista, como a sobreposição de objetos desconexos, imagens poéticas, o humor, o sonho e a imaginação, em uma composição lúdica que utiliza elementos das obras dos pintores Magritte, Salvador Dalí, Frida Kallo e a livre criação da Cia Druw. .

No domingo (15), o Ballet de Londrina, dirigido por Leonardo Ramos, traz Oração pelo Fim do Mundo. O espetáculo, indicado para maiores de 16 anos, é uma súplica de misericórdia e um grito de espanto diante dos horrores praticados pelo homem contra o próprio homem. A montagem toca em temas essenciais como a intolerância, a violência, o preconceito, o bullying, o ataque às minorias e o ódio pela diferença.

Nos dias 18 e 24 de setembro, a partir das 19h, apresentam-se no palco do Dança e Movimento alunos e alunas das escolas e integrantes de instituições sociais e culturais de Ilhabela e do Litoral Norte. Nessas noites, o evento tem como objetivo dar protagonismo aos aprendizes de todas as modalidades de dança, promovendo o intercâmbio artístico entre os bailarinos e bailarinas e a confraternização familiar e comunitária.

Nos dias 19 (13h30) e 20 de de setembro (20h), a ParaladosanjoS apresenta Cabeleira Doida, seu mais novo espetáculo infanto-juvenil, com direção de Natalia Mallo. Nini tem um cabelo longo, encaracolado, embaraçado, e cheio de histórias. Por entre suas madeixas vivem ursos e piratas, há passeios de balões e exploradores, milhares de notas musicais e tantas outras farras. De maneira extremamente fantástica e visual, a obra pretende percorrer os labirintos existenciais de uma jovem mulata de cabelo muito doido.

No dia 21 de setembro, às 20h, a dançarina suíça Gabrielle Neuhaus apresenta The woman who didn’t want to come down to Earth – (A mulher que não quer por os pés no chão). Essa peça de teatro físico e visual combina movimento acrobático, dança e objetos do cotidiano. Ela trata da vida de uma mulher que se recusa a tocar o chão. Confrontada com ameaças e demandas externas, ela não obedece a regras nem à gravidade e chega à situações absurdas. Tendo como origem um material parcialmente autobiográfico, o espetáculo retrata o desafio universal do indivíduo para permanecer fiel a si mesmo.

Dia 22 de setembro, às 20h, a Companhia de Danças de Diadema, dirigida por Ana Botosso apresenta Paranoia. Esta obra foi idealizada a partir das idéias provocativas e imagéticas do livro Paranoia, do poeta paulista Roberto Piva. Poesia traduzida para e pelos corpos dos artistas bailarinos, a coreógrafa e o elenco da Companhia de Danças de Diadema mergulham no universo da poesia de Piva, materializando-a em imagens, cenas e movimentos, fragmentando-as também surrealisticamente. Indicado para maiores de 16 anos.

Dia 26 de setembro, às 19h, o grupo de Artes Integradas do Pés no Chão apresenta o espetáculo Qual o sentido?. EA obra tem como tema os ciclos da natureza e sua dinâmica vital, harmoniosa e circular, que são mostrados através da expressividade da dança, do canto cênico e da acrobacia em tecido. O espetáculo não possui texto, ele se expressa através do movimento, das músicas e de uma sequência cênica conduzida pela delicadeza da iluminação.

Dia 27 de setembro, às 20 h, Francisco Príncipe e suas convidadas Juliana Carvalho e Carolina Pontes apresentam Atman, um espetáculo de dança clássica indiana Odissi. A palavra Atman, do sânscrito, significa alma, essência divina, ou sopro vital. Um corpo que se move com autoconsciência, sabedoria e percepção de si mesmo ascende à alma e a coloca na liderança. Atman enaltece valores éticos e simbólicos da cultura oriental, incorporando-os na estética da dança, poesia e música, expressando a natureza interior da alma e a compreensão de seu lugar na Ordem Maior.

Dia 28 de setembro, às 20h, a Cia Repentistas do Corpo apresenta o espetáculo Olhares Alheios, dirigido e concebido por Michael Bugdahn e Denise Namura, (“à fleur de peau”) especialmente para a Cia Repentistas. A peça propõe uma exploração lúdica das múltiplas facetas da vida brasileira, de suas realidades e curiosidades, de seu lado escuro e brilhante, do absurdo dos tempos atuais e da mágica de um futuro a ser inventado a cada dia.

Dia 29 de setembro, às 20h, a cie ”à fleur de peau”, Michael Bugdahn e Denise Namura, dentro das comemorações do aniversário dos seus 30 anos, apresentam um programa com duas coreografias: Si un jour je te quitte je te garderai en moi à nu à vif à jamais (Se algum dia eu te deixar te guardarei dentro de mim nua e crua ardente para todo sempre) e De repente 20 … ops … 30 anos.

Na primeira obra se dá uma reflexão poética sobre os lados masculino e feminino presentes em cada um de nós. Sua complementaridade, suas contradições e conflitos. Na segunda coreografia, são mostrados momentos significativos da trajetória da companhia. A proposta se articula em torno de grandes temas emblemáticos de suas obras. Eles serão tratados com esta mistura tão original de humor, ironia e poesia, que é a marca registrada de “à fleur de peau”.

Dia 1º de outubro, às 13h30min, o Circo Navegador, dirigido por Luciano Draetta, apresenta O Cirquim do Serafim – uma metáfora sobre a história do circo brasileiro. Dois palhaços cultuam a imagem do Seu Serafim, o finado dono do circo, e perpetuam a sua presença por meio da crença de que ele ainda pode voltar. Eles têm a consciência que são apenas operários de montagem do circo e que nunca serão artistas. Mas na prática, fazem o espetáculo sem perceber, esbanjando a simplicidade típica dos palhaços.

Dia 3 de outubro, às 19h, o grupo de Dança do Pés no Chão apresenta Nós Neurônios, dirigido por Juliana Andrade. O espetáculo se desenvolveu no contexto do Projeto EntreNós, e teve como origem os diversos significados da palavra rede. Ele propõe uma reflexão sobre o quanto o ser humano está ligado a vários tipos de redes, seja na Internet ou nas redes sociais. E de que forma estas relações tecnológicas influenciam nosso comportamento cotidiano.

Dia 4 de outubro, às 20h, Gabriela Dellias apresenta Rastro de Ossos. A obra representa um retorno à terra em busca de renascimento, devotando o pulso do coração ao reencontro dos elementais, da ancestralidade e da pureza selvagem. Lígia Kamada e Denilson de Paula executam ao vivo a trilha sonora original.

Dia 5 de outubro, às 20h, a Intuição Companhia de Ballet , dirigida por Vinícius Anselmo, apresenta Epifania. Epifania – do grego “epiphanéia” – pode ser traduzido literalmente como “manifestação” ou “aparição”, uma súbita sensação de entendimento ou compreensão da essência de algo. O grupo entende Epifania como o momento de súbita compreensão de existência no mundo, através do qual o indivíduo consegue ancorar sua consciência no momento presente.

Dia 6 de outubro, às 18h, a Cia Solas de Vento, dirigida por Carla Candiotto, apresenta o espetáculo A volta ao mundo em 80 dias. Ele conta a extraordinária aventura de Mr. Fog, um lorde aventureiro, que decide fazer uma volta ao mundo no prazo de 80 dias, auxiliado por Passepartout, seu criado francês. Durante a viagem repleta de peripécias, eles são surpreendidos pelo misterioso Mr. Fix, um vilão atrapalhado, que tenta impedir a dupla de formas inusitadas. Atravessando a Europa, o Egito, a Índia, a China, o Japão e os Estados Unidos, os dois aventureiros correm contra o tempo e contra as armadilhas do vilão.

Esta edição do evento é uma realização do Espaço Cultural Pés no Chão com apoio do ProAC- Secretaria de Estado da Cultura e Prefeitura de Ilhabela, através da Secretaria Municipal de Cultura e FUNDACI.

Programação

13/09 – sexta-feira (20h) – Corpo de Baile de Caraguatatuba: Carpe Diem
14/09 – sábado (20h)- Cia Druw: Dali, Daqui ou De Lá?
15/09 – domingo (20h) – Ballet de Londrina: Oração pelo fim do Mundo
18/09 – quarta-feira (19h) – Escolas e instituições
19/09 – quinta-feira (13h30) – Paraladosanjos: Cabeleira Doida
20/09 – sexta-feira (20h) – Paraladosanjos: Cabeleira Doida
21/09 – sábado (20h) – Gabrielle Neuhaus: The woman who didn’t want to come down to Earth
22/09 – domingo (20h) – Companhia de Danças de Diadema: Paranoia
24/09 – terça-feira (19h) – Escolas e instituições
26/09 – quinta-feira (19h) – Grupo de Artes Integradas Pés no Chão: Qual o sentido?
27/09 – sexta-feira (20h) – Francisco Príncipe e convidadas: Atman
28/09 – sábado (20h) – Cia Repentistas do Corpo: Olhares Alheios
29/09 – domingo (20h) – cie ”à fleur de peau”: Si un jour je te quitte je te garderai en moi à nu à vif à jamais
1º/10 – terça-feira (13h30), o Circo Navegador: O Cirquim do Serafim
3/10 – quinta-feira (19h) – Grupo de Dança Pés no Chão: Nós Neurônios
4/10 – sexta-feira (20h) Gabriela Dellias: Rastro de Ossos
5/10 – sábado (20h) – Intuição Companhia de Ballet: Epifania
6/10 – domingo (18h) – Cia Solas de Vento: A volta ao mundo em 80 dias

 

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui