“Bin  Laden” de São Sebastião mantinha mais de 30 aves silvestres em cativeiro

Três homens foram autuados e 17 pássaros já puderam voltar ao seu habitat

0
858
Algumas aves foram soltas em seu habitat natural (Foto: Divulgação/PA)

Foram apreendidas mais de 30 aves silvestres mantidas em cativeiro por um homem conhecido como o Bin Laden, após denúncia anônima à Polícia Militar Ambiental. A ocorrência foi no barro Topolândia, região central de São Sebastião.

- Publicidade -

A informação recebida era que pessoas estariam realizando comércio irregular de aves silvestres, tendo como organizador o “Bin Laden”.

No local, dois homens foram abordados e encontradas 33 aves silvestres em gaiolas individuais sem as devidas autorizações. Um homem fugiu com a chegada da polícia.

Os policiais receberam informação que o homem que teria fugido havia escondido uma gaiola no interior de um bar nas proximidades. Chegando lá, foram recebidos por B.M.O., que negou participação.

No corredor da residência foram encontradas três gaiolas contendo aves silvestres. O homem começou a quebrá-las e soltar as aves. Ao tentar impedir os policiais foram agredidos e o homem algemado.

Diante dos fatos, o homem foi conduzido ao Distrito Policial onde o delegado de Plantão elaborou o Registro Digital de Ocorrência por resistência/desobediência e artigo 29 da lei 9605/98. Ele foi liberado.

Na esfera administrativa foi elaborado o Auto de Infração Ambiental com base no artigo 25, parágrafo 3, inciso III: “por ter em cativeiro aves silvestres” e artigo 26, parágrafo 2,inciso I: “por reintroduzir aves silvestres sem os devidos pareceres técnicos” e o artigo 73: “por dificultar a fiscalização  do agente ambiental”.

B.M.O. recebeu multa simples no valor de R$ 4,1 mil. Os outros suspeitos também foram autuados com base no artigo 25, parágrafo 3, inciso III, com aplicação de multa simples no valor de R$ 11 mil.

As aves

Das 33 aves apreendidas, 17 foram destinadas ao Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama, no município de Lorena. Outras 16, por estarem com sinais de captura recente, foram soltas em seu habitat.

A Polícia Ambiental recebe denúncias pelo telefone (12)3886-2200, no horário comercial.

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui