Família de jovem desaparecida faz vaquinha para pagar detetive

Giovanna Bertholdi, de 16 anos, sofre de depressão e desapareceu há 4 meses na praia em São Sebastião

0
2914
Giovana desapareceu no dia 18 de dezembro de 2018 (Foto: Arquivo Pessoal)

A família da jovem Giovanna Bertholdi, 16 anos, desaparecida há quatro meses na praia do Arrastão, região central de São Sebastião, continua incansável à sua procura. A mãe da estudante, Caroline Bertholdi, conta que o próximo passo, agora, é a contratação de um detetive particular. Porém, o custo do profissional é alto e para arrecadar o dinheiro estão organizando uma vaquinha online.

- Publicidade -

Em entrevista ao Jornal Nova Imprensa, Caroline contou ter conhecido um detetive em São Paulo, com experiência em casos assim. “Ele encontrou uma pessoa desaparecida há 4 anos e outra há mais de 20 anos. Minha esperança é que ele possa encontrar minha filha. Gastei tudo o que tinha nesses meses procurando a Giovanna, indo e vindo de São Paulo para São Sebastião e fazendo panfletos. Mas nunca vou desistir de encontrá-la”, declara.

Segundo a Polícia Civil, esse caso foi alvo de muitas pistas falsas, o que estaria atrapalhando a investigação. “Foram muitas informações falsas dadas, desde que ela estaria em Ilhabela, até no interior de São Paulo. Mandávamos nosso pessoal e acabava não sendo a menina”.

A família de Giovanna reforça a tese policial e conta que também recebeu diversas ligações falsas. “Telefonam dizendo que ela está em determinado local, mas nunca mandam fotos ou pistas concretas. Mas eu sei que minha filha está viva e que alguém está com ela. A Giovanna havia saído de casa descalça e sentou-se na pedra para pensar, como sempre fazia. Eu não desisti de procurar minha filha por um só dia. Vocês não têm ideia de quanta maldade eu recebo das pessoas que nem me conhecem e julgam o que nem sabem”, desabafa a mãe da jovem.

Desaparecimento e depressão

Giovanna sofre de depressão e toma medicação controlada diariamente. A jovem perdeu duas pessoas muito próximas, uma tia e uma avó, pouco antes de seu desaparecimento, o que teria agravado sua situação. Ela foi vista pela última vez no dia 18 de dezembro de 2018, quando saiu de casa vestindo apenas a roupa do corpo, um vestido preto florido.

Imagens em vídeo mostram a estudante entrando em uma viela, em frente ao Condomínio Reserva do Moulin, sentido Praia do Arrastão. Além disso, uma amiga informou a família tê-la visto sentada nas pedras na Praia do Arrastão. Depois disso, apenas informações desencontradas teriam chegado para a família.

Quem quiser colaborar com qualquer valor para a contratação do detetive, pode acessar a vaquinha online pelo link: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/532960.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui