Decreto do governador Dória pode acabar com Projeto Guri

Mais de 10 polos da RMVale podem ser fechados; abaixo assinado é lançado

0
602
Vários polos podem ser afetados com corte de verbas (Foto: Divulgação)

O corte de cerca de R$ 23 milhões da Secretaria Estadual da Cultura e Economia Criativa pode por fim a quase metade de um projeto social que atende 60 mil alunos em vulnerabilidade social e fechar perto de 150 polos.

- Publicidade -

Na lista, estão as unidades da Região Metropolitana do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira (RMVale) – Ubatuba, Ilhabela, Caraguatatuba, Taubaté, polo Regional São José dos Campos, polo São José dos Campos Dom Pedro, Caçapava, Cachoeira Paulista, Aparecida, São Francisco Xavier, Campos do Jordão e Roseira.

Ficariam os polos São Luiz do Paraitinga, Lagoinha, Natividade da Serra, Silveiras, Areias, Paraibuna, Moreira César, Pindamonhangaba, Piquete, Fundação Casa, Lorena e Guaratinguetá. No total, este ano foram oferecidas 492 vagas na região.

O Polo do Projeto Guri de Caraguatatuba atende 157 jovens com idade entre 8 e 17 anos que fazem aulas de violino, viola clássica, canto coral, percussão, violoncelo, contrabaixo acústico, trombone, trompete, euphonium, clarinete, flauta transversal e saxofone. Atualmente, Ilhabela conta com 74 alunos. Já Ubatuba trabalha com 79 estudantes.

Na sexta-feira (29), vários professores foram assinar a rescisão de contrato e ao mesmo tempo foram lançados o abaixo assinado https://secure.avaaz.org/po/community_petitions/Minist_PETICAO_CONTRA_O_FIM_DO_PROJETO_GURI/?cMTeocb&utm_source=sharetools&utm_medium=copy&utm_campaign=petition-710659-PETICAO_CONTRA_O_FIM_DO_PROJETO_GURI&utm_term=MTeocb%2Bpo, hoje com quase 80 mil assinaturas e a #FicaGuri.

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical para crianças e adolescentes.

Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social.

A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 770 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Amigos do Guri

Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, desde 2004 a Amigos do Guri é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui