Dançarinos de Ubatuba conquistam 2º lugar no maior festival de dança do mundo

Dançarinos de Ubatuba conquistaram 2º lugar no Festival de Dança de Joinville. Durante duas semanas de programação, 550 grupos se apresentaram entre mais de 2 mil coreografias na 39ª edição evento, que é considerado o maior festival de dança do mundo pelo Guiness Book.

Apenas 195 coreografias foram aprovadas para participar do segmento competitivo do festival, e a Experimental de Dança de Ubatuba estava entre elas com a coreografia “Viva!”, na categoria Jazz Conjunto Infantil, criada por Brisa Diamante. É o 5º ano consecutivo que a escola de dança consegue uma vaga na competição.

O grupo formado por 17 crianças de 10 a 13 anos, representou a obra em dois palcos abertos, e na competição do Meia Ponta em duas sessões. No anúncio do resultado, após a apresentação oficial, a equipe recebeu o 2º lugar na categoria Jazz Infantil.

“Só de estarmos entre os selecionados e podermos nos apresentar já seria um grande prêmio, pois sabemos que o processo de seleção é muito criterioso. E ainda recebermos uma premiação tão expressiva nos encheu de alegria e muito orgulho. Estamos comemorando muito. As crianças estão extremamente felizes e isso enche o meu coração de satisfação. A felicidade delas é a minha felicidade”, comentou Brisa Diamante, coreógrafa da obra e diretora da Experimental de Dança.

No último sábado (30), o grupo retornou à Ubatuba com o tão sonhado troféu em mãos, e já se fala da continuação do trabalho. “Participamos de muitos festivais e mostras de dança, mas Joinville é sempre um sonho. Por isso que tem um grande significado essa conquista. Ter o trabalho premiado entre os melhores, com o reconhecimento por parte da banca de jurados que elogiou muito a obra pessoalmente na reunião que tivemos após a apresentação, é um grande incentivo para seguirmos em frente. Tivemos a média 9,6 – nota de 1º lugar. Já estou inspirada para a criação da próxima coreografia”, conclui Brisa.

Carla Bettin, professora da turma de Jazz Infantil da Experimental, estava com o grupo e fala da preparação. “Para estar num festival deste nível é preciso preparar os bailarinos tecnicamente, artisticamente e emocionalmente. E cuidamos disso durante todo o processo, para que tudo fluísse bem e eles se sentissem felizes, independente do resultado. E no final, superamos as nossas próprias expectativas”. Ao lado de Brisa e Carla, fizeram parte da comitiva técnica as professoras da escola de dança, Fernanda Terra, Gabriela Pupio e Maria Julia Rocha, além da assistente Leticia Medeiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.