Um pescador morre e dois ficam à deriva após naufrágio em Ilhabela

Trio saiu de Caraguatatuba para pescar na costeira e foi derrubado por onda

0
1568
Local onde os pescadores foram localizados após naufrágio (Foto: Divulgação/GBMar)

Um pescador morreu na tarde de domingo (8/3) e outros dois ficaram à deriva após a lancha ‘Amarula’ que estavam ser derrubada por uma onda quando estavam indo para a Ilha de Búzios, lado norte de Ilhabela. Os dois sobreviventes foram resgatados pelo Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMar) mais de 24 horas após o acidente.

- Publicidade -

Segundo informações de uma das vítimas, os três haviam saído em uma lancha de pequeno porte de uma marina localizada no Porto Novo, em Caraguatatuba, para pescar com isca artificial no Costão Sueste, mas no meio do caminho decidiram ir para Búzios, momento que foram atingidos por uma onda grande que teria molhado o motor e afundado a embarcação.

Um deles ainda conseguiu subir em um costão com a ajuda de uma nova onda, mas os outros dois, entre eles o condutor, ficaram na água agarrados a uma boia. Conforme a vítima, o condutor não resistiu e morreu em seus braços, momento que o amarrou em uma boia enquanto aguardavam socorro. Isso na tarde de domingo.

Na segunda-feira, a equipe da marina foi em busca dos pescadores e os resgatou até o Porto do Meio e acionaram o GBMar. A amigos, uma das vítimas contou que foi por pouco que o condutr morto não foi levado pelo mar porque o corpo já escapava de onde estava amarrado.

De acordo com o comandante do GBMar no Litoral Norte, capitão João Rapaci, a equipe da Lancha Comandante Barreto encontrou o corpo boiando com colete preso na costeira e a encontrada por populares na água foi levada ilesa na ilha.

O pescador que estava na costeira lado leste da ilha teve um resgate mais complicado porque, conforme Rapaci, as condições do mar eram ruins. “Para acessar a vítima, o sargento Patrick precisou, comandante da embarcação do GBMar, precisou ir por terra, pela mata fechada”.

Ainda de acordo com ele, foi solicitado apoio do Comando de Aviação da Polícia Militar de São José dos Campos, porém, não foi possível apoio por não ter aeronave bimotor, a indicada para essa ocorrência devido à distância da costa. A Marinha do Brasil, por meio da Delegacia da Capitania dos Portos de São Sebastião, foi acionada para apoio de aeronave, momento que o sargento Patrick conseguiu descer a vítima pela costeira onde o Soldado Gedeon conseguiu embarcá-la na lancha ilesa.

“Foi uma ocorrência desgastante, mas o resgate deu tudo certo pelo profissionalismo e experiência da guarnição”, explicou o comandante Rapaci.

As causas do acidente serão apuradas em inquérito naval que será aberto pela Marinha que também participou das buscas aos náufragos.

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui