Quadrilha aplica golpe com cartão virtual e acaba presa em Ilhabela

Duas mulheres e dois homens teriam comprado várias peças em lojas da cidade

0
286
Produtos apreendidos com os acusados ao tentarem fugir de balsa (Foto Divulgação/PM)

Uma quadrilha paulistana que aplicava golpes com cartão virtual em Ilhabela foi presa pela Polícia Militar nesta segunda (28). Duas mulheres e dois homens tentavam sair do arquipélago em um carro BMW quando foram detidos. O prejuízo a lojistas ultrapassou os R$ 14 mil.

- Publicidade -

A gerente loja Carmin, localizada na Praça das Bandeiras, Centro de Ilhabela, registrou boletim de ocorrência na delegacia local contra as duas mulheres, uma loura e outra morena,  que haviam ido ao estabelecimento por volta das 15h e comprado diversas peças de roupa, pagando com cartão virtual, por por meio de QR Code, totalizando R$ 3.448.

A gerente solicitou que as compradoras enviassem um e-mail para a loja com seus dados pessoais e a numeração do cartão, além de cópia de um documento de identificação. Depois da compra, retornaram e disseram que queriam comprar mais itens para seus maridos, o que gerou desconfiança na responsável pela loja e elas foram embora.

Ela, então, entrou em contato com a administradora do cartão de crédito e verificou que o cartão utilizado pertencia a um homem, A.O.R.S., e não a I.L.A.L.S., a mulher cujos dados pessoais foram enviados por e-mail.

Ela soube ainda que esta venda seria cancelada por inconsistência de dados, por ter sido feita de forma indevida.

A comerciante detalhou aos policiais as peças vendidas e também que estariam em um automóvel BMW branco, que naquele momento estava na fila da balsa.

Os policiais militares localizaram o carro com as duas mulheres dentro e mais dois homens.

No porta-malas do veículo estavam as peças compradas no estabelecimento e outras que também não teriam sido pagas.

Golpes

A dupla fez compras no dia anterior (27) na loja Sal de Praia, na Vila, nos valores de R$ 939 e R$2.308, utilizando o mesmo golpe do cartão virtual.

A loja Empório da Vila foi vítima dos dois homens que efetuaram duas compras, uma de R$ 2.100 e outra de R$ 5.100, também usando o QR Code.

Segundo a Polícia Civil, as mulheres disseram ser garotas de programa e que as compras foram feitas com o cartão do ex-namorado de uma delas, identificada como P.A..

Porém, o nome do namorado informado por ela não coincidiu com o nome do verdadeiro proprietário do cartão.

Os homens informaram na delegacia serem vendedores de carros de leilão.

O automóvel que a quadrilha viajava tinha placas de Taubaté e estava com comunicado de venda em leilão. Por este motivo foi apreendido.

Diante dos fatos, os policiais militares conduziram todos para a delegacia, onde preferiram permanecer calados e somente se pronunciar em juízo, por orientação do advogado.

As mulheres foram identificadas como P.A., 34 anos, moradora da Vila Guilherme (SP) e S.G.S., 30 anos, moradora de Guarulhos. Os homens são D.G.J., 32 anos, morador de Guarulhos, e D.P.S., 30 anos, morador de Diadema. Todos foram enquadrados com base nos artigos do Código Penal 155, 171, 304 e 288 – furto qualificado, estelionato, uso de documento falso e associação criminosa, respectivamente.

O delegado Carlos Eduardo Nascimento, que atendeu a ocorrência, pediu a prisão em flagrante da quadrilha em virtude de ter sido surpreendida praticando o delito de forma conjunta. Segundo ele, enquanto uns entravam nas lojas para comprar, outros davam cobertura, obtendo vantagem ilícita em prejuízo alheio, mediante fraude e ainda usando documento falso, todos em associação para prática desses crimes.

O grupo pagou fiança de R$ 5 mil e foi liberado.

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui