Projeto promove votação para escolher nome de bebê jubarte

Belinha, Borrifo, Sebá, Tião ou Jubinha?

0
96
Filhote de poucos dias foi flagrado por drone em 13 de julho (Foto: Márcio Motta/ Viva)

O Projeto Baleia à Vista promove uma votação popular para escolha do nome do filhote de jubarte, possivelmente nascido nas proximidades de Ilhabela. As opções são: Belinha, Borrifo, Sebá, Tião e Jubinha. O mais votado dará nome ao bebê. A enquete encerra no dia 31 de agosto e para participar é preciso acessar o link: http://bit.ly/2Z8tfUx.

- Publicidade -

No último dia 13 de julho, o filhote aparentando ter poucos dias de vida foi flagrado entrando no canal de São Sebastião ao lado de uma baleia adulta, possivelmente a mãe, já que a espécie mama até aproximadamente um ano e é totalmente dependente até esta idade.

Segundo especialistas, o caso do filhote, aliado ao aumento da incidência da espécie na região, indica que o Litoral Norte pode se tornar um novo berçario de baleias. Apenas em 2019 foram mais de 360 avistagens de jubartes, um aumento considerável em relação ao ano passado, quando houve 48 registros. A reprodução da espécie em águas brasileiras ocorre, normalmente, em Abrolhos, na Bahia.

De acordo com a bióloga marinha Cláudia Santana Ferreira, da operadora de ecoturismo Mar e Vida, na praia do Curral, ainda não há como comprovar a teoria do novo berçario, pois o aumento dessa ocorrência é uma novidade na região, mas já se sabe que com a proibição da caça de baleias, a espécie está se restabelecendo em áreas onde viviam e se reproduziam há muitos anos atrás.

A caça às baleias foi proibida no Brasil em 1986 e desde então a população aumentou considerávelmente. “Com o hábito da caça, cerca de 3 a 4 milhões de baleias foram retiradas dos oceanos até o século 20. Existiam aproximadamente 1 mil baleias jubartes na década de 80 e agora a estimativa é cerca de 20 mil”, conta Claúdia.

Os nomes pré-selecionados foram escolhidos pelo projeto Viva Baleias, Golfinho e Cia, Projeto Baleia à Vista, Mar e Vida Eco Trip, Sea Shepherd e Instituo Argonauta, que atuam no registro de baleias e na proteção da vida marinha.

O que fazer ao avistar uma baleia?

Entre as normas de avistagem destacam-se não se aproximar de qualquer espécie de baleia com motor engrenado a menos de 100 metros de distância, devendo o motor ser obrigatoriamente mantido em neutro; não reengrenar o motor para afastar-se do grupo sem ter avistado claramente os animais na superfície a uma distância de, no mínimo, 50 metros da embarcação; não perseguir, com motor ligado, qualquer baleia por mais de 30 minutos, ainda que respeitadas as distâncias estipuladas e outras.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui