Marido de Caroline Bittencourt é indiciado por homicídio culposo

Jorge Sestini teria sido alertado para não sair ao mar e o casal estava sem coletes salva-vidas

0
489
Jorge Sestini e Caroline Bittencourt se casaram em janeiro de 2019 (Foto: Divulgação)

O empresário Jorge Sestini, 37 anos, vai responder por homicídio culposo, no caso que vitimou sua esposa, a modelo Caroline Bittencourt, no último domingo (28), após ela cair no Canal de São Sebastião durante uma ventania de mais de 120 Km/h e morrer afogada. Segundo a Polícia Civil, a suspeita é de imprudência na navegação.

- Publicidade -

O pedido foi feito pelo delegado titular da Delegacia de São Sebastião, Vanderlei Pagliarini. Nesta segunda-feira (6), ele ouviu Lenildo da Ressurreição Oliveira Carvalho, proprietário da garagem náutica Lemar, onde fica a embarcação ‘Twin Green’, de Sestini, que contou que o empresário teria sido alertado sobre as condições do tempo.

Conforme o depoimento, “Jorge foi advertido verbalmente para se acautelar posto que iria entrar um Noroeste no sábado ou domingo”. O casal embarcou na sexta-feira (26) com previsão de retorno no final de domingo. Passaram pela praia do Bonete e retornaram ao arquipélago, de onde seguiram para São Sebastião, quando ocorreu o acidente.

Ainda de acordo com o dono da garagem náutica, na tarde do dia da ocorrência foi repassado a Jorge, via WhtsApp, mensagem recebida de outra embarcação relatando mau tempo pelos lados de Itanhaém, no Litoral Sul, com a advertência “está indo na direção de vocês, abriguem, ok. Já estamos em emergência aqui”.

Ao delegado, Carvalho disse que no mesmo horário enviou a mensagem, via áudio, a Jorge e que ele acusou o recebimento às 15h44. Ele ainda agradeceu o alerta, por áudio, dizendo que já se encontrava no canal com previsão de chegada na garagem por volta das 17h30.

Às 17h15, o dono da marina disse que voltou a enviar nova mensagem informando as condições críticas do tempo e que ele deveria permanecer em local abrigado, mas dessa vez não houve retorno de Sestini.

Para o delegado Vanderlei Pagliarini, “esse depoimento permite concluir pela responsabilidade criminal de Jorge Sestini”. Segundo ele, “não se discute que o evento que resultou na morte de Caroline Bittncourt trata-se de uma tragédia familiar que afetou a todos, mas diante do conjunto de provas até o momento, vislumbra-se com clareza a incidência de conduta culposa de Jorge Sestini.

Para o delegado, ele era sabedor do mau tempo, especialmente para quem se encontrava a bordo de embarcações de pequeno porte (17 pés de comprimento), “e mesmo advertido, resolveu sair ao mar, não providenciando ao menos que a vítima utilizasse um colete salva-vidas, como lhe competia”.

O empresário, que é habilitado para navegação, deve ser ouvido em São Paulo, por meio de carta precatória, já que reside em outra cidade da onde ocorre o processo criminal.

O acidente

O casal foi atingido pelo vendaval que assolou o Litoral Norte no final da tarde do dia 28 de abril. Eles estavam no Canal de São Sebastião entre a Vila (Ilhabela) e a Praia das Cigarras (São Sebastião).
Recentemente, a filha de Carol, Isabelle Bittencourt, 17 anos, contou que a mãe teria sido lançada ao mar junto com seus cachorros devido à força do vento e que o padrasto teria pulado na água para tentar socorrê-la. Essa foi a mesma informação que ele teria dado ao ser resgatado depois de cerca de três horas no mar.

O corpo da modelo foi localizado na segunda-feira (29) próximo à costeira, na Praia da Cigarras e foi cremado junto aos familiares em São Paulo. Ela havia se casado com o empresário em janeiro deste ano e segundo relatos, estavam ainda em clima de lua de mel na viagem a Ilhabela.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui