FOTO EM FOCO: Ilha orla

0
14

É um conselho recorrente para quem fotografa, que o melhor há ser fotografado é o seu próprio quintal. Querendo dizer: fotografar o que está ao alcance do olhar o tempo inteiro; aquilo que é corriqueiro.


Nesse sentido, quem mora no Litoral Norte é privilegiado. Porque nosso cotidiano é pleno de cenas belíssimas. “Ilha orla” é uma série que desenvolvo no dia a dia, praticando a fotografia de rua que captura as pessoas no lazer, no desfrute do ócio na praia do Perequê. Essa é a praia mais central de Ilhabela, a que a gente descortina logo que a Avenida Princesa Isabel se aproxima da orla.


É um local de convívio cordial entre as pessoas. Um local de tráfego de banhistas, pedestres e ciclistas. É um local na cidade onde as pessoas se deleitam com a paisagem, se encontram e se divertem.

- Publicidade -
Oxalá os governantes de Ilhabela ao invés de alargarem as suas ruas para as entupirem com mais e mais carros em trânsito congestionado, alargassem sim as suas calçadas, para que todos pudessem caminhar sem pressa e com largueza, realmente olhando para a cidade; se encantando com o que nela existe de belo e tomando consciência daquilo que a enfeia.
Por Márcio Pannunzio
*Os direitos autorais das fotos da coluna Foto em Foco pertencem a Márcio Pannunzio. Desrespeitar o direito do autor é crime. Havendo interesse em usar qualquer fotografia da coluna para fins jornalísticos, institucionais, didáticos ou publicitários, entre em contato para negociar o devido licenciamento de uso de imagem: marciopann@gmail.com

  Conheça mais trabalhos de Márcio Pannunzio pelos sites: www.marciopan.art.brwww.marciopan.comwww.ilhabelaemfoco.com e www.retratararte.com. E aqui no Foto em Foco, toda semana uma diferente série fotográfica.

Matéria anteriorVereadores de Ilhabela entram com mandado de segurança contra prefeitura
Próxima matéria“Os homens querem casar e as mulheres querem sexo” é atração em Caraguá
Márcio Pannunzio
Márcio Pannunzio é artista plástico, trabalhando com desenho, gravura, pintura e fotografia. Fez trinta e sete individuais, cinco delas no exterior. Participou de mais de uma centena de certames internacionais de gravura e foi premiado na XYLON 12 – International Triennial Exhibition of Artistic Relief Printing ( Suíça ), na Biennale Internationale d’Estampe Contemporaine de Trois-Rivières ( Canadá ), na BIMPE V – The Fifth International Biennial Miniature Print Exhibition ( Canadá ), na 11ª Bienal de San Juan del Grabado Latinoamericano y del Caribe ( Porto Rico ), na 3rd International Biennial Racibórz 2000 Poland ( Polônia ), na The 3rd International Mini Print Cluj-Napoca ( Romênia ), no 3º Concurso Internacional de Mini Grabado “Ciudad de Ourense” ( Espanha ), na 5ª Bienal Nacional de Grabado en Relieve – 1ª Iberoamericana XYLON Argentina, na III Bienal Argentina de Gráfica Latinoamericana 2004, na 1st International Small Engraving Salon Inter-Grabado 2005 ( Uruguai ), na 2ª e na 3ª Muestra Internacional de Miniprint en Rosário ( Argentina ). No Brasil foi premiado em quarenta e cinco ocasiões, entre elas, no 10° Salão Paulista de Arte Contemporânea, no 3º Salão Victor Meirelles, no 50º Salão Paranaense, na 10ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, na II Bienal da Gravura, no 2º Salão SESC de Gravura, na VIII e na VII Bienal do Recôncavo, na 4ª Bienal de Gravura de Santo André, na 3ª Bienal Nacional de Gravura Olho Latino. Foi bolsista da Fundação Vitae em 2002 e premiado nos Programas de Ação Cultural do governo do estado de São Paulo – ProAcs Edital de 2008, 2010 e 2011 e ProAc ICMS de 2013.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui