FOTO EM FOCO: Ponto a ponto

0
18
Um ônibus corta a noite entre Caraguá e São Sebastião. Pela janela, vou vendo os pontos de parada se sucedendo e, câmera na mão, vou registrando um a um. As fotos estão borradas. O foco, quando há, deixa mais nítidas somente áreas pequenas. A cor é saturada. A luz é fraca, apagada.

São fotos para causar perplexidade e para estimular a pergunta: isso é foto? Haveria quem retrucaria que o seu celular faria foto melhor; que seu filho de cinco anos fotografaria melhor.

Porém, pensar assim afasta o olhar de perceber o que essas imagens, tão distantes do mundo da propaganda, nos dizem. 

Em todas elas as pessoas estão presentes, mesmo naquelas que mostram lugares vazios, com a pintura descascada, sujos, pichados. A presença humana é que confere sentido a todos esses espaços, pontos de parada. É uma presença triste; na maior parte das vezes, solitária. Aguarda sonâmbula a chegada do ônibus que a levará de volta à casa. Vai entrar em outro espaço, cheio de luzes, ofuscando a vista; vai se sentar ao lado de outra pessoa ou, se o ônibus estiver cheio, ficar em pé, se encostando em outras pessoas.

Mas, apesar de todos juntos, seguirão todos separados, imersos numa alienação que não percebe, não reconhece o outro. Ninguém diz boa noite ou como vai, ninguém diz nada. 

Apesar de haver mais luz, é o clima lúgubre do ponto onde se espera que prevalece. Clima de sonho, beirando o pesadelo. É disso que essas fotos falam.

Por Márcio Pannunzio
*Os direitos autorais das fotos da coluna Foto em Foco pertencem a Márcio Pannunzio. Desrespeitar o direito do autor é crime. Havendo interesse em usar qualquer fotografia da coluna para fins jornalísticos, institucionais, didáticos ou publicitários, entre em contato para negociar o devido licenciamento de uso de imagem: marciopann@gmail.com

  Conheça mais trabalhos de Márcio Pannunzio pelos sites: www.marciopan.art.brwww.marciopan.comwww.ilhabelaemfoco.com e www.retratararte.com. E aqui no Foto em Foco, toda semana uma diferente série fotográfica.

Matéria anteriorFamílias confirmam identidade dos tripulantes vítimas de naufrágio
Próxima matériaAbertura dos Jogos Estudantis de Ilhabela faz referência às Olimpíadas
Márcio Pannunzio
Márcio Pannunzio é artista plástico, trabalhando com desenho, gravura, pintura e fotografia. Fez trinta e sete individuais, cinco delas no exterior. Participou de mais de uma centena de certames internacionais de gravura e foi premiado na XYLON 12 – International Triennial Exhibition of Artistic Relief Printing ( Suíça ), na Biennale Internationale d’Estampe Contemporaine de Trois-Rivières ( Canadá ), na BIMPE V – The Fifth International Biennial Miniature Print Exhibition ( Canadá ), na 11ª Bienal de San Juan del Grabado Latinoamericano y del Caribe ( Porto Rico ), na 3rd International Biennial Racibórz 2000 Poland ( Polônia ), na The 3rd International Mini Print Cluj-Napoca ( Romênia ), no 3º Concurso Internacional de Mini Grabado “Ciudad de Ourense” ( Espanha ), na 5ª Bienal Nacional de Grabado en Relieve – 1ª Iberoamericana XYLON Argentina, na III Bienal Argentina de Gráfica Latinoamericana 2004, na 1st International Small Engraving Salon Inter-Grabado 2005 ( Uruguai ), na 2ª e na 3ª Muestra Internacional de Miniprint en Rosário ( Argentina ). No Brasil foi premiado em quarenta e cinco ocasiões, entre elas, no 10° Salão Paulista de Arte Contemporânea, no 3º Salão Victor Meirelles, no 50º Salão Paranaense, na 10ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, na II Bienal da Gravura, no 2º Salão SESC de Gravura, na VIII e na VII Bienal do Recôncavo, na 4ª Bienal de Gravura de Santo André, na 3ª Bienal Nacional de Gravura Olho Latino. Foi bolsista da Fundação Vitae em 2002 e premiado nos Programas de Ação Cultural do governo do estado de São Paulo – ProAcs Edital de 2008, 2010 e 2011 e ProAc ICMS de 2013.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui