Suspeito de estupro de vulnerável é preso em Caraguatatuba

Ele cuidava dos filhos da companheira, de sete e seis anos, para ela trabalhar

0
668
delegacia da mulher caraguatatuba registrou caso de estupro de vulnerável
A prisão por estupro de vulnerável foi efetuada pela Delegacia da Mulher de Caraguatatuba - Imagem: Nova Imprensa

Um homem suspeito de estupro de vulnerável, foi preso na manhã desta quarta-feira (17), no bairro Porto Novo. A Polícia Civil, por meio da Delegacia da Mulher, Idoso, Criança e Adolescente de Caraguatatuba, efetuou a prisão. O suspeito nega as acusações.

- Publicidade -

Segundo as apurações da DDM, o homem, de 24 anos, mantinha recente relacionamento amoroso com a mãe das vítimas, que foi residir com ele, levando consigo seus dois filhos pequenos, um menino de sete anos, e uma menina de seis anos.

A fim de prover a casa, a mãe das vítimas, nos dias úteis, saía para trabalhar, e o suspeito ficava cuidando das crianças, pois estava desempregado. Nessas oportunidades, segundo a Polícia Civil, “o investigado teria abusado dos menores, com toques em partes íntimas e práticas de outros atos libidinosos, além de agressões físicas”.

Os fatos foram contados pela avó materna das crianças, que ficava com os netos aos finais de semana. Ela procurou a DDM e registrou a ocorrência, que de imediato começou a ser apurada.

O delegado da DDM, Victor Falcão, requisitou a prisão temporária e buscas domiciliares, através de medidas cautelares deferidas pela Vara Criminal da Comarca de Caraguatatuba. O suspeito foi encontrado na casa de seus pais, não apresentando resistência à prisão.

A operação contou com o apoio de policiais do 1º Distrito Policial de Caraguatatuba, área dos fatos. O delegado informou ainda que o homem já possui uma passagem por roubo na cidade de Cunha, estando em regime aberto de cumprimento de pena por estupro de vulnerável.

As crianças foram direcionadas pela Delegacia da Mulher à rede municipal de proteção às crianças vítimas, atendidas por psicólogos, assistente social e agentes de saúde.

Além disso, a mãe das vítimas encerrou o relacionamento e não está mais vivendo com o investigado.

Apuração do estupro de vulnerável

“As investigações prosseguem, visando o cabal esclarecimento dos fatos e as devidas responsabilizações”, informou Falcão, acrescentando que “não haverá juízo precipitado do caso, mas, se forem comprovados os fatos, o indivíduo poderá ser indiciado pelo crime previsto no artigo 217-A do Código Penal”.

O artigo diz sobre o crime de estupro de vulnerável, que é  “ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos: Pena – reclusão, de oito a 15 anos”.

Denúncias podem ser feitas online.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui