Grupo de 10 orcas é registrado na Ponta do Boi, em Ilhabela

Imagens feitas pelo Instituto Argonauta incluem filhotes, machos e fêmeas

0
180
orcas
Orcas não são baleias, elas pertecem à família dos golfinhos (Fotos: Manuel da Cruz Albaladejo /Instituto Argonauta)

Um grupo de 10 orcas foi avistado na região na Ponta do Boi, em Ilhabela, nesta quinta-feira (12). Durante monitoramento embarcado, a equipe do Instituto Argonauta conseguiu fazer belos registros dos animais.

- Publicidade -

orcas

De acordo com o biólogo Manuel da Cruz Albaladejo, as orcas estavam espalhadas. “Primeiro avistamos dois machos. Eles permaneceram juntos o tempo todo. Depois vimos um grupo com três, onde um era filhote e aparentemente estava com duas fêmeas. O outro grupo tinha quatro ou cinco, e uma delas era macho. No fim, voltamos a observar os dois machos quando uma fêmea grande veio e deu uma “chamada” nos dois”, detalhou.

A bióloga Carla Beatriz Barbosa, coordenadora do Trecho 10 do PMP-BS, explica que as orcas não são baleias, e na verdade pertencem à família dos golfinhos e não são assassinas, sendo, na verdade, exímias caçadoras. “Elas se alimentam de peixes, tartarugas, focas, tubarões e até animais maiores, como as baleias, quando caçam em grupo”.

orcas

Segundo o presidente do Instituto Argonauta, o oceanólogo Hugo Gallo Neto, estes animais são extremamente bonitos, inteligentes e tem fortes relações sociais, o que os torna objeto de curiosidade de todos. “A primeira vez que nós avistamos orcas na região, foi em 1990, quando eu estava fazendo uma saída para o Projeto Tamar. Na época, avistamos um casal na região da Ponta Grossa em Ubatuba, e de lá pra cá notamos que felizmente vem aumentando a presença desses animais aqui na região”, destacou.

Regras

Ele lembra que, para a segurança de pessoas e dos animais, navegantes e mergulhadores devem respeitar as regras de aproximação, que incluem distância mínima de 100 metros com motor ligado, proibição de ruídos, como música alta, não perseguir qualquer espécie por mais de 30 minutos, nem interromper o percuros dos animais de qualquer modo. Além disso, a portaria veda “a prática de mergulho ou natação, com ou sem auxílio de equipamentos, a uma distância inferior a 50 metros de baleia ou golfinho de qualquer espécie”.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui