Taxa de isolamento será um dos critérios para flexibilizar quarentena no LN

A avaliação das autoridades estaduais é que, além da perda de vidas, o prejuízo econômico será muito maior se a retomada levar a uma quarentena ainda mais rígida nos próximos meses

0
375
Prefeito de Craguatatuba se reúne com enditads de classe para definir reabertura (Foto: Divulgação/PMC)

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) paralisou o Brasil há mais de um mês com a necessidade do isolamento social, adotado como forma de reduzir o tempo de contágio da população e, com isso, dar um fôlego para o sistema de saúde ser adequado. Agora, apesar da pressão, principalmente de proprietários de comércios considerados não essenciais, para que a retomada da economia seja o mais breve possível, a taxa de isolamento social será um dos critérios para flexibilizar a quarentena no Litoral Norte.

- Publicidade -

O governador do Estado de São Paulo, João Dória, já acenou com a possibilidade de diminuir o isolameto, marcando para 11 de maio a data para rever a abertura dos comércios. Porém, como o surgimento de casos ainda é preocupante, o isolamento será fator decisivo para a retomada.

Diante desse quadro, algumas cidades já têm flexibilizado o funcionamento do comércio, mas também tem encontrado barreiras junto à Justiça que, na sua maioria, entende que é preciso seguir o que o Estado determina. Foi o que aconteceu com Ilhabela, que criou um plano de abertura, mas ele foi derrubado pela justiça local no dia 24.

Em São Sebastião, embora não tenha colocado em decreto, o prefeito Felipe Augusto, liberou o funcionamento de alguns comércios, com restrições, e agora anuncia que vai criar um comitê para oficializar essa reabertura econômica em acordo com o Plano São Paulo.

“Até o dia 10 de maio vamos fazer uma apresentação ao governador para inserir o município na chamada zona verde que tem pouquíssimas restrições”.

Segundo ele, o município tomou todas as medidas possíveis com a organização da saúde, retaguarda de atendimento e ações que deram certo a ponto de São Sebastião ficar em primeiro lugar na taxa de isolamento do Estado.

Desde o dia 5 de março, a Central de Inteligência do Estado analisa dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP) mostra o percentual no Estado em cidades acima de 70 mil habitantes.

Dados coletados no sábado, dia 25 de abril, no Estado

No Litoral Norte o  percentual começou com 44% em Caraguatatuba, teve pico mais alto no dia 19 de abril com 67% e, neste sábado, chegou a 60%. Ubatuba partiu de 49%, chegou a 75% no domingo (19) que antecedeu o feriado de Tiradentes e na última análise está com 65%. Já São Sebastião partiu da taxa de isolamento com 52%, teve seu pico no dia 4 de abril com 75% e agora está com 67%.

Assim, os dados de sábado (25) apontam que as cidades estão entre as 20 melhor avaliadas, com São Sebastião em primeiro lugar, Ubatuba em segunda (65) e Caraguatatuba em 10º. Com cerca de 40 mil habitantes, Ilhabela não tem essa avaliação. O percentual ideal para achatar a curva de contaminação da nova doença é acima de 70% e o tolerável até 60%.

Em Caraguatatuba, o prefeito Aguilar Junior tem se reunido com representantes de classes para também definir a abertura gradativa do comércio. A ideia é elaborar em conjunto estratégias para retomada das atividades após o dia 10 de maio, de modo que seja seguro e viável, garantindo a proteção e preservação da vida das pessoas.

Segundo ele, o ponto principal desse plano de retomada será a responsabilidade individual e das empresas com relação aos seus funcionários e clientes.

“Nesse momento é essencial que cada um tenha consciência de suas atitudes e, para mim, é muito importante que todos saibam da minha preocupação com a saúde do município como um todo, por isso precisamos que o poder público, a iniciativa privada e a população estejam unidos agora. O mais importante nesse momento é que todos nós tenhamos o mesmo objetivo e cada um precisa fazer sua parte”.

Para o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba, Lucas Gallina, as ações precisam estar bastante alinhadas para que não ocorra prejuízo em nenhum ponto. “Isso precisa ser muito bem pensado para que o comércio possa passar por esse desafio da melhor maneira”, disse.

Para as marinas e náuticas, a deliberação inicial é de abertura para manutenção das embarcações. “Existe uma grande preocupação com o impacto econômico, mas também com a responsabilidade sobre os funcionários. Todos estamos em risco, precisamos encontrar uma forma segura para funcionar, sem que isso afete a saúde de nossos colaboradores”, disse o representante da marina OffShore.

Até mesmo o retorno dos cultos foi discutido com o Conselho do Pastores. Na pauta, a redução do número de pessoas nas igrejas, fracionamento dos cultos em encontros menores, distanciamento entre os membros, frequência de pessoas dos grupos de risco e o uso de máscaras e álcool em gel.

“Sabemos que a partir de agora precisamos reinventar nossa forma de realizar nossos encontros. Precisamos compreender e aceitar a situação atual, diluir as atividades para que elas sigam com segurança. Por isso é fundamental que possamos adotar uma nova conduta”, destacou o Pastor Arthur Bruller, presidente da entidade representativa.

Na última semana, a Prefeitura de Ubatuba prorrogou a quarentena no município até o dia 10 de maio, mantendo o fechamento de estabelecimentos não essenciais, como museus, aquário, cinemas, shopping centers, quiosques e bares, casas noturnas, pousadas, hotéis, hostels e outros meios de hospedagem, espaços para festas diversas, reuniões ou eventos de cunho político, religioso ou de qualquer natureza, academias de musculação e ginásticas, concessionárias e revendas de veículos e motos, bem como a pesca amadora.

Estão liberados para funcionar, com regramentos que impedem a aglomeração de pessoas, estabelecimentos voltados ao abastecimento de alimentos, serviços relacionados à saúde, redes bancárias e de crédito, lojas de ração animal, oficinas mecânicas, serviços de telecomunicação e internet, serviços autônomos e domiciliares de natureza essencial, como hidráulica, elétrica, manutenção de eletroeletrônicos, estúdio de pilates (somente com recomendação médica), entre outros.

Cuidados

Os novos protocolos de flexibilização para abertura do comércio serão discutidos por uma equipe de economistas e depois apresentados a médicos e especialistas do Centro de Contingência do coronavírus do Estado, que irão aprovar ou vetar as alterações segundo estatísticas de número de doentes com Covid-19 e a capacidade de atendimento de saúde em diferentes regiões.

O plano de retomada da economia será conduzido para evitar que a reabertura desordenada do comércio provoque uma disparada no número de casos e de mortes. A avaliação das autoridades estaduais é que, além da perda de vidas, o prejuízo econômico será muito maior se a retomada levar a uma quarentena ainda mais rígida nos próximos meses.

“De nada adianta abrir o comércio e não ter quem compre e consuma, e ainda colocando em risco os funcionários. Estabelecemos um projeto consistente, sólido e baseado na ciência. Definiremos gradualmente os protocolos para essa volta responsável e segura à normalidade econômica, mas protegendo vidas”, apontou o governador João Dória.

Casos

Desde o início da pandemia do Covid-19, o Litoral Norte tem confirmado 86 casos, dos quais seis se transformaram em óbito (4 em Caraguatatuba e 2 em São Sebastião). Ainda existem 54 casos aguardando resultados do Instituto Adolfo Lutz, entre eles, quatro mortes.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui