Prefeita recua e altera decreto que flexibilizava quarentena em Ilhabela

Ministério Público recomendou que a cidade seguisse normas estaduais e mantivesse isolamento social contra o coronavírus

0
679
Estado de São Paulo já te mais de 500 mortes pelo novo vírus (Imagem: Divulgação)

Após recomendação administrativa do Ministério Público de São Paulo, a prefeita de Ilhabela Maria das Graças Ferreira, a Gracinha, recuou e alterou o decreto que flexibilizava a abertura de comércios na cidade durante a quarentena contra o novo coronavírus (Covid-19).

- Publicidade -

Ela assinou no início da noite desta quinta-feira (9) o decreto 8.050, que revoga, altera e inclui dispositivos do decreto n.º 8.030/2020, de estado de calamidade para enfrentamento da emergência na saúde pública. Com o novo documento, não será mais possível que salões de beleza, barbearias, clínicas de estética e congêneres possam realizar atendimento, mesmo que com portas fechadas e limitado a um cliente por vez, por agendamento.

Além disso, as lojas de tecidos só poderão funcionar para pedidos de tecidos sob encomenda para confecção de máscaras de pano e outras vestimentas habituais de uso no
inverno, com portas fechadas apenas para atendimento “delivery” ou “drive thru”. Óticas só poderão fazer atendimento de urgência, com portas fechadas, permitindo apenas um cliente por vez.

Já as obras públicas e privadas permanecem liberadas, bem como a circulação dos funcionários que trabalham nelas. Lojas de materiais de construção, tintas e madeireiras também não entraram na mudança e podem permanecer abertas.

Veja aqui o documento completo com todas as regras de funcionamento https://bit.ly/2Rq1gy4.

Estado em quarentena

Na última quarta-feira (8) Gracinha fez o anúncio das medidas de abertura dos comércios pelas redes sociais, ao mesmo tempo em que pedia que a população continuesse em casa. O decreto foi assinado dois dias depois do governador do Estado de São Paulo, Jão Dória, estender as medidas de isolaento social para combater a pandemia mundial da nova doença.

Na ocasião, o governador chegou a dizer que poderia usar as forças de segurança para dissipar aglomerações e pediu o apoio dos muncípios. “Prefeitas e prefeitos que estão nos assistindo aqui, vocês terão o dever e a obrigação de seguirem nas suas cidades a orientação do governo do estado de São Paulo”, afirmou ele em coletiva de imprensa na segunda-feira (6).

Ilhabela tem um paciente confirmado com a nova doença e 20 casos suspeitos em investigação, sendo 11 profissionais da saúde entre eles. No Estado de São Paulo são mais de 540 mortes e 8,2 mil casos confirmados.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui